Uma VPN descentralizada (dVPN) é um serviço de VPN distribuído em que voluntários fornecem os servidores de VPN em vez de uma única empresa. Elas são melhores do que as VPNs tradicionais? As VPNs descentralizadas são a nova tendência tecnológica?

O que é uma VPN descentralizada?

Uma VPN descentralizada é uma rede privada virtual que usa um sistema ponto a ponto para conectar usuários. Em vez de ter um servidor centralizado que gerencia as conexões, os usuários se conectam diretamente uns aos outros, de modo que os dados não passam por um ponto de controle central.

Esse serviço é pago em criptomoeda. É por isso que ele está tão na moda. Se quiser saber mais, você pode visitar o site Sentinel, que oferece uma VPN descentralizada.

Como funciona uma VPN descentralizada?

Uma VPN descentralizada não tem controle centralizado sobre seus servidores. Em vez de uma única empresa de VPN fornecer e manter os servidores, os servidores dVPN são hospedados por usuários independentes. Eles podem usar servidores dedicados ou simplesmente instalar o software dVPN em seus computadores pessoais. Os hosts são pagos de acordo com o uso de seus servidores.

Do ponto de vista do usuário, a experiência é a mesma que a de um aplicativo VPN clássico. Você abre o aplicativo, seleciona o local do servidor em que está interessado e navega.

As VPNs descentralizadas são mais seguras do que as VPNs padrão?

Tenho sentimentos muito contraditórios em relação a essa pergunta. Com uma VPN descentralizada, você precisa confiar em muito mais entidades do que com uma VPN centralizada. A questão de manter os registros de navegação é um dos pontos cruciais do problema, pois os servidores pertencem a pessoas diferentes.

O problema com os servidores descentralizados é que muito mais pessoas podem potencialmente ver seus dados.

Não vamos mentir, se as VPNs descentralizadas estão sendo muito noticiadas no momento, é por causa de seus vínculos diretos com a criptografia. Observe que a criptografia não tem nada a ver com a melhoria de sua conexão VPN. A criptografia é simplesmente uma forma de pagar anonimamente, bem como uma forma de usar as chamadas nano-transações para pagar apenas pela largura de banda da VPN que você usa, em vez de pagar o preço de uma assinatura de VPN tradicional.

Com as VPNs descentralizadas, o dinheiro que você paga deve ir para as pessoas pagas que administram os servidores. No entanto, algumas empresas descentralizadas exigem que as pessoas que fornecem um servidor invistam criptomoedas em seus nós.

Em conclusão

Em teoria, as VPNs descentralizadas têm muito a oferecer, mas até o momento elas ainda não têm nenhuma garantia no que diz respeito aos dados do usuário. O interesse está claramente limitado ao geo-spoofing (simulação de sua posição real) e nada mais.

Uma política clara de não registro (no-logging) é muito preferível a uma VPN descentralizada, pois é mais fácil verificar se a empresa está cumprindo a política do que garantir que todos os provedores de servidores dVPN estejam participando do jogo. De qualquer forma, não há como saber.

Uma política de não registro (no-logs) demonstra o compromisso do provedor de VPN de não registrar seus dados. Empresas de boa reputação realizarão auditorias independentes para confirmar que esse é o caso.

Mateus Sousa da Silva
Mateus Sousa da Silva

Especialista em tecnologia e proteção de dados, com expertise em cibersegurança e jornalismo digital. Apaixonado por direitos digitais e privacidade online, oferece insights relevantes sobre as tendências tecnológicas atuais.