Achamos que eles são inofensivos, mas os cookies são uma praga para a privacidade digital. Para as empresas, os cookies tradicionais são essenciais para gerenciar os usuários que retornam e fornecer publicidade personalizada. Esses dados, que são fornecidos aos profissionais de marketing digital, continuam a gerar dúvidas entre os usuários da Internet. De fato, terceiros têm acesso a todas as suas ações em vários sites. Os usuários podem – e devem – excluir todos os cookies. Entretanto, os supercookies são mais persistentes e resistem à exclusão regular dos dados de navegação. O que é esse supercookie que está atrás de sua privacidade?

O que é um supercookie?

O termo super cookie (ou supercookie) é enganoso, pois não é o cookie de rastreamento típico como o conhecemos. Os cookies comuns são armazenados nos dispositivos dos usuários, o que significa que podem ser excluídos a qualquer momento.

Um super cookie não usa o local de armazenamento tradicional. Em vez disso, os serviços on-line colocam um supercookie na camada de rede e o marcam como um cabeçalho de identificação exclusivo (UIDH). Esses cookies são, portanto, protegidos das opções de exclusão incorporadas nos navegadores.

A finalidade de um super cookie é semelhante à de um cookie comum. Ambos são scripts de rastreamento, projetados para estabelecer o perfil digital dos usuários da Internet. Ao acumular dados sobre os usuários, os sites podem exibir ofertas personalizadas. Embora os serviços on-line sejam obrigados por lei a informar os clientes sobre o uso de cookies, os supercookies são os grandes rebeldes.

Os usuários da Internet podem nem mesmo estar cientes de que esse script afeta sua navegação. Além de serem mais persistentes e invisíveis, eles operam fora dos limites estabelecidos. Eles podem rastrear os usuários em vários sites. Essa é uma prática altamente questionável do ponto de vista ético. Além disso, os UIDHs podem vazar informações e, em alguns casos, permitir que terceiros não autorizados acessem os perfis dos usuários.

Os supercookies são maliciosos ou ilegais?

Os supercookies não têm a melhor reputação. Embora não sejam maliciosos, sua presença pode constituir uma violação de privacidade, especialmente quando são usados sem o consentimento dos usuários. Em um dos escândalos envolvendo o uso indevido de supercookies, a Verizon Wireless (um ISP móvel) foi acusada de injetar supercookies sem o conhecimento ou o consentimento dos usuários da Internet. Após uma investigação aprofundada, a empresa foi multada em US$ 1,35 milhão por ter configurado esse rastreamento furtivo.

A partir desse caso, é menos provável que os ISPs usem essa prática sem informar seus usuários. De fato, não há normas que impeçam seu uso. O ponto crucial do problema é a incapacidade dos usuários de recusá-los. Em termos simples, um super cookie é legal, desde que os serviços sigam uma política de consentimento adequada.

Como posso evitar que os supercookies invadam minha privacidade?

Detectar esses cookies não é fácil. As chances de encontrar ou impedir que um supercookie acesse suas atividades de navegação são mínimas ou nulas.

Aqui estão algumas dicas:

  • Um supercookie depende de conexões HTTP, portanto, você pode evitá-lo visitando apenas sites HTTPS. No entanto, é difícil manter uma rotina somente de HTTPS, mesmo quando os navegadores informam aos usuários quando eles estão prestes a entrar em um site HTTP.
  • Uma opção eficaz contra os supercookies é usar uma VPN. Esse dispositivo pode impedir que sites, ISPs e corretores de dados rastreiem os usuários on-line. A criptografia do tráfego da Web impossibilita que terceiros acumulem dados do usuário. Uma rede privada virtual tornará seus dados de navegação ilegíveis.
  • Alguns provedores de serviços de Internet que usam supercookies permitem que os usuários os recusem. Acesse as configurações no site do seu ISP e recuse todas as ofertas relacionadas a publicidade. Entretanto, seu ISP pode continuar a usá-los em menor escala.
Lucas Ribeiro Almeida
Lucas Ribeiro Almeida

Expert em VPN e segurança digital, revelando os segredos das redes privadas virtuais para uma navegação segura e privada.