Um serviço de VPN gratuito pode parecer bom demais para ser verdade, e o recente escândalo de vazamento de dados envolvendo a SuperVPN mostra mais uma vez que você precisa estar atento. O provedor foi responsabilizado por grandes falhas de segurança que colocaram em risco a privacidade e a segurança de seus usuários. Isso levanta questões essenciais sobre a confiança que pode ser depositada nas VPNs gratuitas.

Entretanto, ignorar todo o mercado de VPNs gratuitas não é necessariamente uma boa ideia. Alguns provedores de segurança cibernética estão surgindo com produtos freemium confiáveis, fornecendo versões gratuitas e pagas de VPNs.

Todos devem ter a oportunidade de proteger suas vidas on-line. Este artigo revela os componentes essenciais de uma VPN gratuita confiável.

Como um serviço de VPN gratuito gera receita?

Todo provedor de serviços precisa de receita para manter seus negócios em funcionamento. Como os serviços gratuitos não cobram nada de você, eles precisam de algo mais para se financiar. Pode ser seus dados, como seus hábitos ou preferências de navegação, que eles compartilham com seus parceiros.

Em outros casos, os provedores gratuitos podem exibir anúncios em seus aplicativos, o que significa que a publicidade é seu principal canal de receita.

É essencial estabelecer que os serviços de VPN gratuitos, como o Hotspot Shield, por exemplo, não são necessariamente ruins. O principal problema é que a manutenção de servidores VPN e o suporte a conexões seguras exigem recursos e dinheiro.

Sem um fluxo de receita claro e regular, um serviço de VPN 100% gratuito inevitavelmente se voltará para um modelo de negócios que não é muito favorável à privacidade nem à melhoria da experiência na Internet.

A fonte de receita de uma VPN gratuita

Os aplicativos gratuitos podem ter diferentes tipos de modelo de negócios:

  • Um serviço com suporte de publicidade, que obtém a maior parte de sua receita de conteúdo promocional.
  • Um serviço que incentiva doações.
  • Um modelo freemium, o que significa que um aplicativo contém versões/componentes gratuitos e pagos. Entre as mais usadas no momento estão as VPNs sem inscrição: ProtonVPN e Hide.me, por exemplo.

O Hola VPN é um bom exemplo de VPN gratuita que recomendamos evitar. O Hola afirma em seus termos de uso e FAQ que todos os usuários gratuitos são, na verdade, nós para a versão premium. Em outras palavras, o Hola financia sua VPN paga usando os recursos de usuários não pagantes. O HolaVPN ainda está no mercado.

Antes de confiar em uma VPN gratuita, verifique os seguintes pontos.

Confiar em um provedor de serviços de VPN gratuito do qual você nunca ouviu falar pode ser arriscado. Isso ocorre porque os usuários dão acesso a tudo o que fazem on-line quando estão conectados.

Perguntas que você deve fazer a si mesmo antes de usar uma VPN gratuita

Aqui estão algumas das perguntas mais importantes a serem respondidas antes de usá-la:

  • Quem é o proprietário do serviço de VPN e qual é a sua reputação?
  • Que avaliações você pode encontrar sobre o serviço?
  • Quais dados a VPN coleta e armazena?
  • Se uma VPN gratuita coleta dados do usuário, o que ela faz com eles?
  • Qual é a fonte de receita da VPN se você não pagar?
  • Que proteção uma VPN oferece?
  • A VPN é transparente em relação à sua política de privacidade?

Uma política de não registro (no-logs) é essencial

Uma política de não registro (no-logs policy) refere-se às diretrizes que um provedor de VPN aplica quando se trata de dados do usuário. Ela indica que um provedor não coleta endereços IP ou informações que possam ser usadas para identificar o comportamento do usuário. Isso significa que uma VPN não coleta registros do que você faz quando está conectado aos servidores.

A melhor VPN, paga ou gratuita, deve sempre dar prioridade a uma política livre de registros.

100% gratuita, sem taxas ocultas

Se um serviço de VPN gratuito exigir dados bancários para acessar os servidores gratuitos, desista.

Sem publicidade

Muitas VPNs gratuitas exibem anúncios

Uma VPN pode incluir anúncios em sua interface ou exibi-los durante a navegação. Embora isso não seja realmente prejudicial, é muito desagradável. Além disso, isso significa que um aplicativo fará algum rastreamento para medir o sucesso da publicidade.

Protocolos e segurança

Uma VPN gratuita não precisa economizar quando se trata de segurança. Ela deve usar criptografia e protocolos seguros para proteger os usuários.

A segurança é um aspecto que uma VPN gratuita deve oferecer incondicionalmente. Pode haver cortes em outras áreas, como a largura de banda ou a quantidade de servidores VPN acessíveis.

Verifique se o provedor em que você está interessado tem criptografia AES de 256 bits, Open VPN, WirGuard® e IKEv2/IPSec.

Além do Hide.me e do ProtonVPN, o Atlas VPN tem uma versão gratuita perfeitamente decente, apesar de seus três locais de servidor.

Prevenção de vazamento de dados

Uma VPN protege sua identidade on-line ao mascarar seu endereço IP e criptografar o tráfego. Quando você se conecta a ela, seus endereços IP ou DNS reais não ficam mais visíveis.

Mesmo com VPNs pagas, você pode ter problemas com vazamento de dados, ou seja, terceiros ocasionalmente capturam seu IP real.

A funcionalidade kill switch é essencial para qualquer rede privada virtual confiável. Ela permite que você gerencie os momentos em que uma VPN ou conexão com a Internet se torna instável.

Mateus Sousa da Silva
Mateus Sousa da Silva

Especialista em tecnologia e proteção de dados, com expertise em cibersegurança e jornalismo digital. Apaixonado por direitos digitais e privacidade online, oferece insights relevantes sobre as tendências tecnológicas atuais.