O debate sobre o TikTok, A plataforma de vídeos curtos que cativa um público global de mais de 1,5 bilhão de usuários, está se intensificando nos Estados Unidos. Um projeto de lei recentemente aprovado pelo Senado americano pode selar o destino do aplicativo nos EUA. A legislação, que exige que a empresa controladora chinesa ByteDance se desfaça do TikTok, está prestes a ser assinada pelo presidente Joe Biden. Se a ByteDance não encontrar um comprador que não esteja ligado a nações adversárias nos próximos seis meses, o TikTok será banido permanentemente nos Estados Unidos.

Implicações de segurança: por que a proibição do TikTok está sendo considerada?

A principal preocupação com relação ao TikTok é seu potencial de ameaçar a segurança nacional, uma preocupação que não é nova, mas que se intensificou com o tempo. O aplicativo, de propriedade da empresa chinesa ByteDance, está sob intenso escrutínio das autoridades dos EUA há anos. As preocupações se concentram principalmente na forma como o TikTok coleta e armazena os dados privados dos usuários.

Apesar das tentativas de aprimorar o TikTok, como a transferência desses dados para os servidores da Oracle, para aliviar os temores, as dúvidas persistem, principalmente em relação aos riscos de acesso pelo governo chinês e ao controle do algoritmo de recomendação, que poderia influenciar a opinião pública nos Estados Unidos no contexto de eleições iminentes.

Essa dupla ameaça é reforçada pelas recentes revelações de um ex-executivo da ByteDance, que alegou em documentos judiciais que o Partido Comunista Chinês tinha acesso aos dados do TikTok, apesar de estarem armazenados nos Estados Unidos. Essas alegações foram corroboradas por declarações de autoridades sênior, como o diretor do FBI, que expressou sérias preocupações sobre a capacidade da China de explorar essas informações para fins de manipulação.

Implementação da proibição: que abordagem os EUA estão considerando?

A história recente nos dá uma ideia dos possíveis métodos para uma proibição do TikTok. Em setembro de 2020, o Departamento de Comércio dos EUA tentou, sem sucesso final, banir o aplicativo, bem como o WeChat, solicitando sua remoção das lojas de aplicativos da Apple e do Google.

Essa tentativa foi bloqueada por uma decisão judicial e anulada pelo presidente Biden. No entanto, a nova legislação aprovada pelo Senado exige que o TikTok encontre um proprietário americano ou não-adversário dentro de 180 dias, ou corre o risco de ser banido. Essa estrutura legislativa sugere uma proibição total do aplicativo se as condições não forem atendidas, marcando uma abordagem mais rigorosa e estruturada em comparação com as tentativas anteriores.

Há alguma alternativa?

No caso de uma proibição efetiva, os usuários podem procurar maneiras de contornar as restrições, como usar VPNs gratuitas para redes sociais para alterar sua localização virtual. No entanto, o TikTok disse que coleta informações aproximadas de localização com base em dados de rede, o que poderia limitar a eficácia de tais estratégias.

O futuro do TikTok nos EUA é, portanto, incerto. Como o debate sobre a segurança nacional continua a se intensificar, os usuários do aplicativo estão esperando para ver como a situação se desenvolve.

Mateus Sousa da Silva
Mateus Sousa da Silva

Especialista em tecnologia e proteção de dados, com expertise em cibersegurança e jornalismo digital. Apaixonado por direitos digitais e privacidade online, oferece insights relevantes sobre as tendências tecnológicas atuais.